Grupo Marcondes Cesar

Notícias

Construção é responsável por ‘virada’ na economia, diz IBGE

RIO E SÃO PAULO - A atividade da construção foi responsável pela "grande virada" nos investimentos na economia no segundo trimestre, afirmou Rebeca Palis, chefe do Departamento de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nesta quinta-feira, o IBGE anunciou alta de 0,4% no PIB do segundo trimestre ante o primeiro, com avanço de 1% sobre o segundo trimestre de 2018. A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), por sua vez, mostrou altas de 3,2% e de 5,2%, respectivamente, nas mesmas comparações. A FBCF é a medida do que se investe em máquinas, equipamentos, construção e pesquisa e desenvolvimento.

A atividade da construção é a que tem maior peso na FBCF, de 50%. Segundo Rebeca Palis, chefe do departamento de Contas Nacionais do instituto afirmou que a melhora na atividade da construção foi impulsionada principalmente pela construção de imóveis, e não por obras de infraestrutura.

A atividade da construção subiu 1,9% no segundo trimestre ante primeiro trimestre, com avanço de 2% ante igual trimestre em 2018. Esse resultado é o primeio avanço após 20 trimestres em queda.

Na comparação com trimestres imediatamente anteriores, o PIB da construção tem oscilado entre altas e quedas desde o fim de 2017, mas o desempenho do segundo trimestre é o melhor resultado desde a alta de 5,8% no primeiro trimestre de 2014. 

O setor ainda tem um longo caminho a recuperar. No segundo trimestre, o PIB da construção ainda estava 30% abaixo do auge registrado em 2014. No acumulado em 12 meses, a atividade do setor ainda cai 0,9%.

Rebeca comentou que, no segundo trimestre, o período mostrou-se mais favorável para aquisição de imóveis, com boa oferta de crédito imobiliário, juros e inflação baixos.

Os pagamentos dos contratos de financiamento de imóveis normalmente são corrigidos por índices de inflação. Ela comentou ainda que foi notada melhora na renda do trabalhador, no período, o que facilita aquisição de imóveis.

"Podemos dizer que foi, sim, a virada na construção que levou a essa FBCF. É que a tem maior peso dentro dos investimentos", reiterou.

Com o melhor desempenho da FBCF no segundo trimestre, a taxa de investimentos do país foi de 15,9% no segundo trimestre deste ano, acima do resultado registrado no mesmo período do ano passado (15,2%).

A taxa de investimento é medida pela relação entre a FBCF e o PIB. Por não ser um indicador dessazonalizado, o IBGE compara o indicador sempre com períodos iguais. No segundo trimestre deste ano, os investimentos cresceram 5,2% frente ao mesmo período do ano passado.

"A taxa segue bem distante da que vimos no passado, quando a taxa chegou a ser de 21,1%", disse Claudia Dionisio, gerente das Contas Nacionais do IBGE.

(Alessandra Saraiva, Bruno Villas Bôas e Ana Conceição | Valor)

Fonte: https://www.valor.com.br/brasil/6412681/construcao-e-responsavel-por-%3Fvirada%3F-na-economia-diz-ibge

Construção é responsável por ‘virada’ na economia, diz IBGE
Avenida Jorge Zarur, 291 - Vila Ema,
São José dos Campos - SP, 12242-010
(12) 3909-5050

2020Copyright - Marcondes Cesar - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por DB9